Creio

Creio na Socialização, toda poderosa,
criadora de gêneros e sexualidades,
e na Desconstrução, nossa única esperança,
que foi concebida pelo poder do pós-estruturalismo
nasceu de Foucault e Derrida
Padeceu sob a ciência positivista
Foi glorificada, como dogma adotada,
desceu da USP às favelas,
bebeu da Teoria Crítica, Marcuse e Habermas,
à esquerda dos quais se senta Judith Butler, toda poderosa,
de onde há de vir a julgar os Problemas de Gênero.
Creio na política de identidade,
nos dois pesos e duas medidas,
na repreensão de homens brancos,
héteros, cis, ricos e capitalistas,
no lugar de fala,
na lacração,
na epistemologia alternativa,
Amém.

Betine BombomCreio