Genética Feminista Radical

Senhorxs e Senhorxs, precisamos falar sobre Genética Feminista Radical (RadFemGen).

Como sabemos, o cromossomo Y nada mais é que um cromossomo X mutilado, castrado, contraído, miniaturizado. De forma que os homens são geneticamente inferiores às mulheres, são essencialmente mulheres defeituosas criadas pelo patriarcado. No futuro, o Y desaparecerá, e a espécie humana libertada do patriarcado será completamente feminina e MATERNOGENÉTICA (a ciência ocidental patriarcal chama a capacidade de se reproduzir sem machos de “paternogênese” em vez de MATERNOGÊNESE, o que é o auge da hipocrisia macha, kkkkkkkkk!).

Segundo geneticistas patriarcais brancos cis héteros como Eli Vieira, no entanto, todas as mulheres são “mosaicos” de “inativação de um ou outro de seus cromossomos X”. Quando o embrião feminino tem ainda poucas células, segundo esse crápula, cada uma das células “desliga” quase totalmente um dos cromossomos X para evitar um problema que esse idiota chama de “hiper-dosagem de produtos gênicos”. A escolha de qual dos dois X é inativado é aleatória, então essas células-tronco dão origem a tecidos ou partes de tecidos com diferentes expressões de cada um dos cromossomos X. É isso o que explica por que somente gatas fêmeas têm três cores, segundo esse viado: é porque a cor felina é controlada por genes no cromossomo X. Se a expressão de melanina fosse controlada da mesma forma em mulheres, elas seriam “como gatas malhadas de pele mais escura com pele mais branca” (além de tudo é racista, o palhaço).

Sendo assim, como o cromossomo Y é, segundo a RadFemGen, um cromossomo X mutilado, um cromossomo X inativado nas mulheres seria uma coisa ainda mais masculina que o cromossomo Y, portanto as mulheres seriam mais geneticamente masculinas que os homens.

Nós sabemos que tudo o que a genética cis branca capitalista diz é falso, mas podemos entreter por um momento as alegações desse brocha de forma a refutá-las com a genética da justiça social: são as mulheres trans as mulheres mais oprimidas, então seria normal que as mulheres cis tivessem mais patriarcado internalizado com seus cromossomos X inativados, mais masculinos que o cromossomo Y. Isso não é culpa delas, mas culpa do patriarcado por ter inveja da criação da Deusa.

Refutado!

Betine BombomGenética Feminista Radical