Papai Noel é a epítome da opressão interseccional

É homem branco hétero. É nutrido. É rico capitalista, administra a provável maior corporação do mundo. Faz escravização animal com renas. Oprime o hemisfério sul fingindo que é inverno no mundo todo. Invade espaços seguros e lugares de fala das pessoas entrando clandestinamente pela chaminé, e ainda rouba comida dos mais pobres, deixando no lugar brinquedos que reforçam estereótipos de gênero. Mantém Mamãe Noel numa condição submissa, sai para viajar pelo mundo enquanto ela fica em casa, escravizada, fazendo comida para elfos brancos machos cis héteros. Faz apropriação cultural da cor vermelha da luta revolucionária. Por um século vem promovendo uma multinacional de refrigerantes que causa diabetes em crianças. Claramente desenvolveu uma fórmula para a vida eterna que não compartilha com as classes oprimidas. É o maior latifundiário do mundo, pois é proprietário de todas as terras e mares acima do círculo polar ártico. Se utiliza apenas de transporte particular, desvalorizando o transporte público. Mente que não se esquece de ninguém, seja rico ou seja pobre, enquanto tira dos mais pobres e dá para os ricos: é um Robin Hood do avesso. É eurocêntrico e ignora religiões de matriz africana. Maldito seja o Papai Noel!

Betine BombomPapai Noel é a epítome da opressão interseccional